terça-feira, 16 de maio de 2017

detalhes de alguém incompleto

"Os detalhes estragam as coisas, tudo de perto é mais feio", eu repetia pra mim mesma em frente ao maldito espelho. Eu venho odiando cada traço, cada fio, cada pequeno pedaço de mim, porque tô fora de tudo que sempre ouvi ser o certo. Mas quem é que impõe as regras?

Do outro lado da janela do ônibus,  vejo as pessoas passando enquanto vivem  suas vidas, me coloco pra pensar, quem é que disse o que? Coloco uma música, mordo o chiclete repetidas vezes, fecho os olhos e encosto a cabeça no vidro. A melodia calma, a letra misteriosa, as coisas que passam pela minha cabeça, com tudo isso, eu sou livre.

Eu sou livre e sei que posso fazer o que eu quiser, sei que vou sobreviver ao/aos vestibulinho(s), Ensino Médio e que em um futuro não tão distante assim eu vou começar a construir meu próprio caminho. E não,  isso não acabar quando colocar o all star do pé esquerdo dentro de casa, porque tá dentro de mim, são os meus sonhos, as minhas vontades e saudades, as minhas músicas,  meus pequenos detalhes.

E se um dia, esses detalhes internos forem o suficiente pra alguém, se um dia houverem outras constelações para meu universo bagunçado, se um dia eu presenciar uma conexão que vá além de um cabelo legal ou algum estereótipo de beleza exterior, talvez eu entenda a sensação de ter alguém pra transbordar-me. Para eu poder transbordar esse alguém também.
Imagem retirada do Pinterest 


-Manu Mendes, 2017