terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

"Ventania"

Nossas escolhas sempre tem consequências, mas quando eu abri meu guarda chuva, quando passei a confiar, quando precisei e dei apoio no meio da tempestade, quando qualquer tipo de afastamento nem era sequer discutido, eu não imaginava as tretas que estão acontecendo agora.

Tá tudo diferente, é como se de um lado tudo caminhasse extremamente bem, com imprevistos mas dentro do controle, e, de outro, tudo estivesse beirando uma tempestade, porém tudo que eu consigo ver é um arco-íris.

Se eu pegasse um papel e fosse tentar  desenha-lo não conseguiria, tenho os pingos de chuva, as lágrimas, a saudade, a insegurança, o medo, a raiva, a culpa, aquelas coisas que mal sei explicar. Tenho a gratidão, a vontade de se esmagada em um abraço, a sintonia com as melodias, certa simplicidade.

O caos, a melhor combinação, mas lá no fundinho, tem a saudade que tá doendo em muito. Tu tem uma vida,  a gente sabia que uma hora ia dar nisso, mas ainda não me acostumei, "procuro me dar mais um tempo, pensar no futuro/ Esfriar minha cabeça, respirar fundo, quem sabe", é pra sempre,  não é culpa de ninguém,  é a vida, mas, como se já não bastasse a distância, agora nem tempo a gente tem. É ventania na nossa tempestade.